quarta-feira, 15 de outubro de 2008

QUE SAUDADE DA PROFESSORINHA...

Hoje é Dia dos Professores e é impossível não relembrar dessas pessoas que tanto contribuiram para a nossa formação cultural e profissional. Eu lembro com especial carinho das minhas professorinhas, todas foram muito importantes para mim.

Nas minhas fantasias as professoras eram sempre como as da imagem abaixo:

É lógico que nem sempre as nossas professoras correspondiam, em aparência, com a nossa imaginação. Mas isso não importa, mesmo porque eu ia na escola para aprender e não para ficar notando a aparência das professoras. Na minha ânsia de aprender eu não faltava em nenhuma aula das minhas professorinhas, e meus amigos também não.

As aulas de Artes da Dona Shirley eram muito concorridas, eu adorava suas explicações de Expressão Corporal, e que expressão corporal era aquela. Dona Julieta professora de Literatura era expert em Machado de Assis, nas leituras em que ela interpretava a Capitu saía até briga para ser o Bentinho. E a minha professora de OSPB(Organização Social e Política Brasileira)? Dona Marilza, ela dava uma explicação da Ditadura que ninguém esquecia, o mulher boa em ditadura.

Física, confesso que eu não gostava muito dessa matéria, isso até conhecer a Dona Michelle. Passei a ser fã de Newton. Não perdia uma aula, como eu era meio burro a professora precisou me mostrar na pratica aquele lance de que dois corpos não ocupam o mesmo espaço. E precisou que ele me explicasse varias vezes. Alias eu uso a explicação que ela me deu até hoje.
Dona Gertrudes, de Biologia, inesquecível suas aulas de anatomia humana, e que anatomia.

Dona Sophia de Português, a mais rígida das minhas professoras, foi com ela que eu aprendi a usar o Ditongo. Ela era especialista em encontrar o sujeito das orações, e achar o objeto direto das frases. Até hoje eu me lembro dela quando estou escrevendo algo, ao saber que ela não dava aula para a oitava série eu repeti a sétima, duas vezes.
Se não fosse a Dona Lana, professora de Química, eu jamais decoraria a Tabela Periódica. Ela foi muito didática ao me informar que Cu era o símbolo do Cobre.

Dona Samantha de Matemática era temida, pois com ela 2+2 era 4 e acabou. Eu gostava quando ela dava chamada oral, ninguém dava uma chamada oral melhor que ela. Uma vez ela me chamou e perguntou quanto era 23x3, e eu tirei dez acertando em 69. Foi demais.
A Dona Iolanda vivia dando castigo para quem fazia bagunça nas aulas de História, o gozado que ninguém reclamava de ficar ali pertinho dela, ajoelhado no milho. O visual era histórico.

Melhor que isso, só se fosse verdade.

UM GRANDE BEIJO A TODOS OS PROFESSORES !!!

Obs.; Não chamem o atual técnico da Seleção de Professor Dunga, os nossos professores merecem mais respeito.

2 comentários:

Anônimo disse...

HUAUhUHAUhUHAuhau..........


A BENE SO TU MESMO!!!!!!!!



UHAhuHUAHuhUAHuh..........

artesanato disse...

Parabéns pela estrutura e conteudo de seu blog, forte abraço. Renato artesanato em mdf.